ECONOMIA & NEGÓCIOS

Prefeito e secretário Executivo de Niterói participam de manifesto em defesa da retomada de empregos da Indústria Naval

O prefeito de Niterói, Axel Grael, e o ex-prefeito e atual secretário Executivo, Rodrigo Neves, participaram, nesta segunda-feira (25), de um ato simbólico de lançamento do manifesto em defesa da retomada de empregos da Indústria Naval e Petróleo e Gás. O ato foi liderado pela Frente Parlamentar da Assembleia Legislativa do Rio em defesa dos empregos das indústrias de petróleo, gás e naval. Participaram representantes de sindicatos de metalúrgicos, marítimos, operários navais, centrais sindicais, de transporte e segmentos ligados à Economia do Mar. 

O chefe do Executivo de Niterói destacou que a cidade deixou de ser o berço da indústria naval, o que gerou a perda de milhares de postos de trabalho. Axel Grael afirmou que, graças ao apoio da Prefeitura, o setor pode começar a vislumbrar a retomada econômica após a dragagem do Canal de São Lourenço, que vai aumentar a profundidade de 6 para 11 metros. Com isso, navios de grande porte poderão acessar novamente o local, o que vai estimular a indústria naval, a construção de embarcações, o segmento de offshore e toda a rede de serviços que envolve o setor. O prefeito ressaltou que a Prefeitura vem avançando nos últimos anos em busca de iniciativas concretas para alavancar a Economia do Mar para gerar emprego e renda.


“Estamos fazendo um esforço de formação. Temos um cluster naval que envolve toda uma cadeia produtiva de fornecedores e serviços. Precisamos fazer com que a cadeia produtiva seja retomada. Estamos fazendo nossa parte há uma década para o fortalecimento da indústria naval com as obras de dragagem. Sabemos da importância dessa obra. Foi um longo caminho. Fizemos estudo de impacto ambiental, sondagens e toda a parte burocrática. Em abril, começaremos efetivamente o trabalho de dragagem. Estamos conversando com o setor naval e buscando soluções para uma modelagem que dê a possibilidade de investimentos para que o Parque Naval de Niterói possa entrar na disputa para atrair a construção naval e todos os serviços afins para nossos estaleiros”, disse Axel Grael.

A Prefeitura de Niterói assumiu a obra de dragagem do Canal de São Lourenço, que seria de responsabilidade do Governo Federal, e lançou uma Parceria Público-Privada (PPP) para realizar a intervenção. O vencedor da licitação foi o consórcio formado pelas empresas DTA Engenharia Ltda e SK Infraestrutura Ltda, e terá investimento de cerca de R$ 138 milhões, por parte da Prefeitura de Niterói, e previsão de término em até 15 meses.

“Estávamos vivendo uma tragédia na área naval. Esse ato é de extrema importância. Não é possível que um país que tem uma Petrobras, que produz quase 5 milhões de barris de petróleo por dia, esteja contratando navios na China e Singapura. Não é aceitável que, nos últimos oito anos, a indústria naval esteja paralisada, ocasionando a perda de milhares de empregos diretos e indiretos. Foram 150 mil empregos perdidos na Indústria Naval e Comperj. Mas estamos lutando juntos e vamos conseguir retomar esse segmento. Temos profissionais e jovens qualificados. Não podemos admitir que essa situação continue”, afirmou o ex-prefeito de Niterói e atual secretário Executivo, Rodrigo Neves.

Dragagem do Canal de São Lourenço

A obra tem como objetivo recuperar a profundidade do Canal de São Lourenço, que deve chegar até 11 metros. Desta forma, será possível a aproximação de embarcações de maior porte, o que vai proporcionar a revitalização do setor naval em Niterói.

Para garantir a execução das obras, a Prefeitura de Niterói custeou o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/Rima) com um investimento de R$ 772 mil. O estudo foi entregue ao Instituto Estadual do Ambiente (INEA) e, após a análise para liberação das licenças, os resultados foram apresentados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH) aos órgãos do Governo Federal.

“Todos sabemos dos desafios do estado do Rio de Janeiro por conta de um regime fiscal diferenciado. A indústria naval, de petróleo, óleo e gás é um polo de sustentação dos mais importantes para a economia do estado. Queremos encher os estaleiros de navios”, reforçou a presidente da Frente Parlamentar de retomada da Indústria Naval Petróleo e Gás, Verônica Lima.

Participaram ainda representando a Prefeitura os secretários de Desenvolvimento Econômico e Indústria Naval de Niterói, Luiz Paulino Moreira Leite; do Clima, Luciano Paes, além do presidente da Associação Comercial e Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Acierj), Igor Baldez, e parlamentares.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo