NOTÍCIAS

Niterói tem o melhor saneamento do estado do Rio de Janeiro

Niterói se mantém em primeiro lugar entre as cidades do Rio de Janeiro no ranking do Instituto Trata Brasil. Niterói ocupa ainda o 6º lugar no ranking nacional que avalia o atendimento e tratamento de água e esgoto, o investimento realizado e o total de perdas, sendo a única do estado a figurar entre as 20 primeiras colocadas do estudo. O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (20).

Desde 2009, o Instituto Trata Brasil avalia os 100 municípios brasileiros mais populosos. Niterói conta com 100% de tratamento e abastecimento de água, cobertura de 95,5% no atendimento e 100% no tratamento de esgoto e contou com um investimento de mais de R$ 200 milhões entre 2018 e 2022.

O prefeito de Niterói, Axel Grael, falou sobre a importância desses índices na qualidade de vida da população.

“Niterói é um exemplo no setor de saneamento para o estado do Rio e para o Brasil. A cidade vem se destacando e sendo referência em temas voltados para a sustentabilidade e meio ambiente. Ampliamos investimentos em saneamento nos últimos anos e, por meio do trabalho em parceria com a concessionária Águas de Niterói, foi possível a construção de novas estações de tratamento de esgoto e a ampliação de outras unidades. Estamos empenhados em fazer de Niterói uma cidade cada vez melhor”, afirmou Axel Grael.

Niterói investe, desde 2013, em ampliação de reservatórios de água na Região Oceânica e em Pendotiba, em novas adutoras e também em Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) com a inauguração e modernização das redes no Sapê, Caramujo e Jurujuba.

O ex-prefeito e atual secretário Executivo de Niterói, Rodrigo Neves, destacou que os investimentos realizados desde 2013 foram fundamentais para que o município alcançasse a posição de destaque no ranking do Instituto Trata Brasil.

“Esse resultado só foi possível graças à continuidade das políticas públicas, o planejamento, investimento e trabalho que fizemos junto com a parceria com o setor privado. Desde o ano 2000, com o início da Parceria Público-Privada do saneamento, foram realizados investimentos importantes em Niterói. A partir de 2013, nossa gestão implantou novos reservatórios de água em Pendotiba e na Região Oceânica, além de novas adutoras. Em 2017, chegamos a 100% de distribuição de água tratada. Implantamos novas e modernas estações de tratamento de esgoto, como no Sapê e Caramujo, modernizamos a estação de Jurujuba e implantamos o programa Enseada Limpa, para recuperação das águas das enseadas da Baía de Guanabara em Niterói. A continuidade das políticas públicas e a PPP permitiu que Niterói seja a primeira do Rio, trazendo saúde, qualidade de vida e lazer para a população”, disse Rodrigo Neves.

O relatório divulgado pelo Instituto Trata Brasil aponta que o país tem 32 milhões de brasileiros sem acesso à água potável e 90 milhões de pessoas sem acesso à coleta de esgoto. O ranking do saneamento básico aborda os novos indicadores de água e esgoto, além de dados sobre perdas de água, investimentos, operadoras e tarifa média das 100 maiores cidades do país. O estudo é elaborado com base nos dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) publicado pelo Ministério das Cidades, reunindo as informações fornecidas pelas empresas prestadoras dos serviços de água e esgoto dessas cidades. Para este ano, a base de dados foi a publicação de 2022 do SNIS.

De acordo com a publicação do Instituto Trata Brasil o objetivo do ranking é dar luz a um problema histórico de falta de acesso à água potável que impacta quase 32 milhões de pessoas e cerca de 90 milhões de brasileiros que não possuem acesso à coleta de esgoto, o que reflete em problemas na saúde para a população.

“Além dos esforços de ampliação e construção de novas estações de tratamento de esgoto, a Prefeitura de Niterói também vem fazendo, com o Projeto Ligado Na Rede, um trabalho de ligar à rede coletora e de tratamento de esgoto os imóveis de famílias de baixa renda”, disse o prefeito Axel Grael, que frisou ainda que a infraestrutura dos serviços básicos é uma das prioridades do município, que também investe pesado em projetos inovadores como o Parque Orla Piratininga, que utiliza Soluções Baseadas na Natureza, as chamadas SBNs, como uma das ferramentas do processo de recuperação do sistema lagunar na Região Oceânica. “Saneamento básico proporciona qualidade de vida, saúde, desenvolvimento econômico e dignidade para a população”, disse Grael.

Nos últimos anos, a gestão municipal de Niterói também investiu na universalização da coleta domiciliar do lixo, dando uma solução para a gestão do destino final dos resíduos. Além disso, foi implantado o programa Enseada Limpa de recuperação das enseadas da Baía de Guanabara. Com isso, a cidade evoluiu de 15% de semanas balneáveis em 2013 para 68% em 2020, o que possibilitou a volta da prática de esportes aquáticos no município.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo