NOTÍCIAS

Niterói ganha selo internacional de “Cidade Árvore do Mundo”

Niterói foi premiada, pelo terceiro ano consecutivo, com o selo de “Cidade Árvore do Mundo”, concedido pelo programa Tree Cities of The World, administrado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pela Arbor Day Foundation. O selo coloca Niterói entre as cidades de destaque mundial pelo plantio e cuidado com as árvores. Esse é um reconhecimento não apenas pela quantidade de árvores, mas também pelo planejamento, gestão e cuidado das “florestas urbanas”.

“Nos últimos anos, o Meio Ambiente deixou de ser uma política periférica para se tornar prioridade de governo. Passamos a ter 56% do nosso território como parques e outras áreas protegidas, investimos pesado em reflorestamento e o saneamento básico chega a 100% de abastecimento de água enquanto o tratamento de esgoto beira a universalização. A arborização e as áreas verdes têm uma função fundamental na qualidade de vida e na amenização do microclima urbano. Implementamos o maior plantio urbano e reflorestamento da história de nossa cidade. Este reconhecimento internacional é mais um impulso para Niterói seguir firme no caminho do desenvolvimento com sustentabilidade e justiça social”, destaca o prefeito de Niterói, Axel Grael

A Prefeitura de Niterói vai triplicar o número de árvores plantadas mensalmente na cidade. Atualmente, a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (Seconser) realiza o plantio de 70 mudas por mês – esse número vai subir para 200, com prioridade para espécies da Mata Atlântica compatíveis com o meio urbano. O município possui, atualmente, mais de 55 mil árvores em seu território, catalogadas no Sistema de Gestão da Geoinformação (SIGeo).

A secretária municipal de Conservação, Dayse Monassa, destaca a relevância do reconhecimento internacional e do aumento do número de árvores plantadas em Niterói.

 “Niterói tem uma árvore para cada 8,13 habitantes em sua área urbana. Nosso plano é triplicar o número de plantios por mês em 2024, com 2.000 novas mudas nas ruas e praças da cidade. A Seconser mantém projetos como o Verdes Notáveis e o Arboribus, responsáveis por substituir a flora local por espécies características da Mata Atlântica e manter registros atualizados sobre cada árvore de Niterói. É um orgulho receber o prêmio pelo terceiro ano consecutivo. Esse reconhecimento é fruto do afinco da Prefeitura em garantir que a cidade seja referência em arborização”, explica Dayse Monassa.

O selo “Tree Cities” é um reconhecimento concedido a cidades que demonstram um compromisso significativo com a gestão e conservação de árvores urbanas. O selo é disponibilizado para cidades que atendem a critérios específicos relacionados ao planejamento, manejo e cuidado com as árvores em áreas urbanas. Receber o selo “Tree Cities” significa que a cidade é reconhecida pela preservação e promoção de áreas verdes urbanas, o que contribui para a qualidade de vida dos cidadãos e para a sustentabilidade ambiental.

Ao receber o selo, uma cidade ganha visibilidade internacional pelo comprometimento com a arborização urbana e o meio ambiente. O selo também pode atrair investimentos e impulsionar o turismo verde, apoiando na promoção de espaços públicos mais agradáveis e saudáveis, gerando benefícios como redução do calor urbano, melhoria na qualidade do ar e aumento da biodiversidade.

Para obter o selo, as cidades precisam passar por um processo de candidatura e cumprir uma série de critérios estabelecidos pelos organizadores do prêmio.

A subsecretária do Escritório de Gestão de Projetos (EGP), Katherine Azevedo, ressaltou o trabalho da Prefeitura na preservação das áreas verdes.

“O selo é uma iniciativa da FAO e da Fundação Arbor Day para reconhecer as cidades que assumem a responsabilidade, se planejam e investem na manutenção e plantio das árvores. Niterói é uma cidade com mais de 50% de seu território coberto por áreas preservadas, o que exige um esforço conjunto dos órgãos municipais para a manutenção de nossas áreas verdes e conscientização da população para a preservação. É uma honra para o EGP apoiar esse trabalho na busca por reconhecimentos nacionais e internacionais”, disse Katherine Azevedo.

No Brasil, o selo é oferecido pela Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (Sbau).

Podas preventivas – Além do plantio de mudas, a Seconser também realiza podas preventivas na cidade. A poda regular das árvores mantém a estrutura saudável, aumenta a quantidade de luz e ar que recebem e reduz o risco de queda de galhos que podem causar danos e acidentes. Em um ano, foram realizadas mais de 7,3 mil podas na cidade, com uma média de 10 por dia. Icaraí, Centro, Fonseca, Piratininga e Itaipu foram os bairros com mais ações de manutenção.

A poda preventiva mantém a segurança das árvores e da população. O serviço pode ser solicitado pelos moradores pelo app Colab.re seja por segurança ou por conflito com o mobiliário urbano. A outra forma de manutenção realizada pelas equipes da Seconser é pela guilda arbórea, que agrupa espécies similares, presente em ruas e praças. Essas podas são realizadas alternando os bairros e otimizando o processo por ruas inteiras.
Vale destacar que quando há galhos em contato com a fiação o serviço de poda é de responsabilidade da concessionária Enel.

Guia Botânico – Niterói lançou, em 2019, pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade (SMARHS), o Guia Botânico da cidade. Estão catalogadas 81 árvores e mais de 60 espécies, que foram identificadas como relevantes para o município. O Guia Botânico apresenta fotos e descrição de cada espécie, incluindo nome científico, família, nome popular e localização. Foram incluídas informações sobre a ocorrência da espécie e período de floração.

“As árvores são elementos essenciais no planejamento urbano. Dentre as diversas funções que ressaltam sua importância estão a redução do calor; diminuição de ruídos; absorção do carbono atmosférico; infiltração da água da chuva e diminuição do escoamento superficial; filtração de poluentes do ar; abrigo da fauna urbana; e promoção de bem-estar para cooperar na manutenção da saúde humana”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade, Rafael Robertson.

A obtenção dos dados foi feita por meio de vistorias realizadas pelo Setor de Áreas Verdes da SMARHS e com o apoio da população que, pelas redes sociais, indicou árvores que foram vistoriadas pela equipe técnica.

Catálogo de árvores – O município possui, atualmente, mais de 70 mil árvores catalogadas no Sistema de Gestão da Geoinformação (SIGeo). São ipês rosas, ipês amarelos, pau-brasil, pitanga, aldragos, além de jacarandás, mimosos e pau-mulato. O registro já alcançou 52 bairros e coleta informações como a saúde de copas e troncos, estatura, nomes científicos e populares, endereço e como se desenvolvem.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo